OA-words

OA Fanfics Community

A fanfic-centered community. All fandoms welcome!

Previous Entry Share Next Entry
{Desafio Bingo] Paranoia
Saint Seiya: Shun
streetcatx wrote in oafanfics

Título: Paranoia
Autor(a): Madam Spooky
Tema(s) do Bingo: Cartela "Moon", prompt: "We had a pretty good time together, when she wasn’t trying to kill me!" – John Wayne.
Fandom: Saint Seiya
Classificação: Livre
Palavras: 564
Personagens/Casais: Shaina, Máscara da Morte
Gêneros: Drama, gen
Resumo: Shaina e Máscara da Morte estão de volta ao Santuário. Ele a surpreende com um presente.
Notas: História escrita para o Desafio Bingo, um desafio promovido pela comunidade OA Fanfics.
Se passa no mesmo universo do prompts anteriores, Despedida, Desconfiança e Protesto.

Shaina mal pode acreditar que eles finalmente estão voltando para o Santuário.

Foram quatro meses. Cento e vinte dias de pura tortura. Semanas intermináveis em que ela tentou manter Máscara da Morte na linha enquanto o mesmo nunca teve a consideração de colaborar. Ele sempre fez o que queria e não estava prestes a mudar por causa dela.

Alguns dias ela esteve convencida de que ele saia nos momentos mais oportunos – enquanto ela estava no banho, por exemplo – a procura de vítimas. O velho Cavaleiro de Câncer gostava demais de colecionar rostos em sofrimento para mudar tão radicalmente só por causa de alguns meses no Hades. Nesses momentos de insanidade (ou não), ela o observava dormir e se perguntava se teria alguma chance contra ele se o atacasse em um momento de vulnerabilidade. Mais de uma vez passou a mão pelo rosto dele, as unhas arranhando a pele sobre as veias delicadas do pescoço...

Na maior parte do tempo, Câncer se comportou como um Cavaleiro de Athena perfeito. Fez as rondas sem reclamar; lamentou pela deusa diariamente, por um período apropriado de tempo; até mesmo ajudou pessoas com problemas que encontraram pelo caminho. O comportamento dele foi tão perfeito que até a ignorou com um revirar de olhos quando ela tentou lhe dar ordens. Se tivesse obedecido sem reclamar ele só teria aumentado sua desconfiança.

Um dia antes de receberem as ordens para voltar, eles foram até uma pequena praça na periferia da cidade, de onde dava para ver o mar, e assistiram aos fogos de artifício em homenagem a San Giovanni. Tinham ficado parados, em silêncio, por um longo tempo, um ao lado do outro. Quando a comemoração terminou, Máscara da Morte saiu andando em direção a praia, misturando-se a aglomeração de pessoas que celebravam.

Enquanto ele se afastava, ela ficou pensando como seria fácil enviar uma daquelas pessoas para as dimensões infernais que só Câncer era capaz de alcançar. Devia impedir, ir atrás dele, mas a parte mais racional de sua mente a impediu aos gritos de que estava sendo paranoica. Eles tinham se divertido aquela noite, não tinham? Pelo menos foi o máximo de diversão que alguém podia ter na companhia de Máscara da Morte de Câncer.

Voltou ao hotel ao invés de segui-lo.

De volta à Grécia, Shion parece satisfeito com o resultado da missão. Ele está pálido e perdeu peso. Tem orelhas em volta dos olhos.

Quando a conversa termina, ambos, Shaina e Máscara da Morte, saem do salão do Mestre e param na entrada, desconfortáveis, ambos achando que precisam dizer alguma coisa – afinal, foi muito tempo de convivência, mesmo forçada – mas sem saber exatamente o que.

Ela já está prestes a desistir e seguir em frente quando ele fala:

- Eu me diverti.

Shaina fica tão surpresa que o encara repentinamente, as sobrancelhas quase desaparecendo sob a franja grande demais.

- Isso – ele tira algo do bolso e coloca na mão dela em um movimento tão rápido que ela nem tem tempo de resistir – é para você.

Máscara da Morte se afasta. Quando ele quase desapareceu, a Amazona abre a mão e encara o presente. É uma medalha de San Giovanni, antiga, com a corrente de ouro falso já escurecendo. Parece algo usado com frequência, como se tivesse pertencido a alguém.

Ela olha para frente e vê o Cavaleiro de Câncer parado na escadaria da Casa de Peixes. Aquele sorriso perturbador está de volta no rosto.

Ela devia tê-lo matado quando teve a chance.


FIM

?

Log in